Grupo de Pescadores da RaquelTur conhece trabalho da Cripam e faz doações para instituição

Ver a necessidade e ajudar. Assim pensou há onze anos um grupo de amigos empresários paulistas em uma viagem para a prática do pesque e solte no Pantanal. Ao perceber a condição desfavorável em que muitas famílias ribeirinhas vivem na região, o grupo, que leva o nome de Pescadores Solidários, decidiu doar cestas básicas aos mais necessitados. “A maioria de nós se conhece desde criança. Hoje, são três gerações. Estamos juntos há praticamente 30 anos e sempre pensando no bem”, disse o arquiteto Amílcar Casado.

Desde então, eles criaram uma forte ligação com a região, que conta com a empresária Raquel Amaral - responsável pela empresa que presta o atendimento ao grupo em relação ao pacote turístico - como intermediadora das boas ações. A empresária é o ponto de apoio na logística das doações que o grupo faz no decorrer do ano como cobertores, roupas e calçados, por exemplo.

Foi dela a ideia de apresentar a Casa de Recuperação Infantil Padre Antônio Müller (Cripam) aos Pescadores Solidários. O encontro aconteceu no último dia 24, logo na chegada do grupo à cidade. “Quem ganha com tudo isso não são as crianças que estão recebendo essa ajuda, mas, a gente que está tendo o privilégio de poder contribuir. É indescritível a sensação de alegria em estar participando disso e perceber que existem pessoas que, por exemplo, como esse grupo, vêm de tão longe fazer o bem. Nós comentamos a respeito do trabalho da Cripam com eles, que fizeram questão de conhecer a instituição para poder ajudá-los. Nós já temos 6 ou 7 grupos que participam de ações como essas, mas esse grupo é especial”, disse Raquel.
Os Pescadores Solidários, que em princípio doariam dez cestas aos ribeirinhos e fariam uma doação financeira à entidade, se sensibilizaram com o projeto e decidiram entregar as cestas que estavam no veículo e providenciar outras para moradores do Pantanal. “É uma felicidade ajudar quem realmente necessita. Isso é sensacional”, disse Paulo Sérgio Gonçalves, microempresário de 53 anos.

A doação e a maneira como foi feita, foram motivo de extrema alegria a todos os responsáveis pela entidade. De acordo com a vice-presidente Maria Angélica Calábria, a Teca Calábria, é de grande importância que as pessoas conheçam a Cripam para que se crie uma relação a partir do que é visto no trabalho da entidade. “Quando me foi dito que pescadores, turistas gostariam de realizar a doação, eu disse que eles deveriam conhecer o local. Você só gosta daquilo que você conhece, de preferência profundamente. Hoje, foi um dia fora do comum, de muita alegria porque nós vivemos de doações e receber pessoas de tão longe para ver o trabalho realizado aqui é muito importante. Existem pessoas que não gostam de ver crianças nessas situações, mas se você não ver, não vai acreditar que isso existe. É cômodo ficar em casa dizendo que você não tem conhecimento do problema, mas a desnutrição existe, perto da gente", explicou Teca ao Diário CorumbaenseDurante a visita, os pescadores solidários interagiram, conversaram e brincaram com os pequenos. Visivelmente emocionado após brincadeira com as crianças do abrigo, que estão em situação de vulnerabilidade, o empresário Armando Brás, de 55 anos, explicou que a visita lhe rendeu muito mais que a contribuição material feita por ele. “Tem aquele mito dos pescadores que vêm aqui só pescar e beber. Nos divertimos assim também, mas não custa nada ajudar aos outros. Temos que ajudar ao próximo e hoje, mais do que dar recebi muito mais, sem dúvida. A gente fica tocado, essas crianças nos emocionam muito. Você acaba saindo daqui com um sentimento de incapacidade, mas por outro lado, a gente pensa que se cada um fizer um pouquinho, a gente chega lá”, frisou.Vinícius Alves, de 19 anos, pela primeira vez em viagem com o grupo, foi outro que se emocionou ao conhecer os pequenos. “Meu padrinho, o Amílcar, me convidou e eu decidi vir. É meu primeiro ano e estou muito feliz em poder visitar esse lugar. É complicado, não tem como você não se apaixonar por essas crianças. Um pouco que você fica aqui elas já se entregam com tanto carinho que a gente acaba se emocionando com a atitude delas. Pretendo voltar ano que vem, é uma experiência única, em São Paulo, cidade grande, correria, é difícil você ter um contato assim”, disse o jovem.

De acordo com Amílcar, um grupo de voluntários do Pró Vida realizará, a pedido dele, uma visita à entidade para auxiliar de outras formas. “Eu faço parte também de outro grupo de estudos filosóficos que realizará uma doação voluntária. Nossa intenção é que uns amigos nossos venham conversar com o pessoal aqui para verificar a real necessidade da entidade para fazer outro tipo de doação, como móveis, material de obra e equipamentos, dependendo da necessidade que o local tem”, afirmou a este Diário.“Essa ação significa praticar a gratidão, a bondade, o voluntariado, você conseguir se colocar no papel do outro. Nós queremos ser um exemplo para que a comunidade corumbaense contribua com o próximo, não somente financeiramente, mas através de ações, seja na forma de tratar o próximo, com amizade, seja dando um bom dia, um abraço, uma palavra. Tudo isso faz o ser humano crescer. Queremos deixar esse exemplo e uma mensagem de reflexão sobre isso para que possamos construir um mundo melhor”, finalizou Amílcar ao descrever a sensação em ajudar.

Cripam atende mais de 600 crianças e adolescentes

A Casa de Recuperação Infantil Padre Antônio Müller é uma entidade sem fins lucrativos que atende crianças e adolescentes de zero a 18 anos operando em três núcleos: Hospitalzinho, com recuperação de crianças desnutridas, oferecendo 30 leitos; a Casa Marisa Pagge, com o acolhimento de crianças, com disponibilidade de 20 leitos e o CAIJ, que oferece aulas de reforço escolar, oficinas culturais e de informática, atendendo cerca de 600 crianças e adolescentes.

A entidade sobrevive a partir de doações. Parte dos recursos é obtida através do Fundo Municipal de Investimento Social com projetos apresentados ao FMIS que são avaliados por um comitê que decide pela sua aprovação. Esses projetos envolvem solicitações de recursos direcionados a alimentos, medicamentos, materiais de higiene, limpeza entre outros.

Além disso, a entidade conta com uma fábrica de picolés doada pelo Pró Vida. Os produtos são comercializados diretamente ou por encomenda para eventos. Promoções também são realizadas com a ajuda de doações. A entidade conta com a cedência de profissionais da Secretaria Municipal de Educação e de Saúde em seus núcleos, além das doações e auxílios até mesmo em mão de obra provenientes da Itália. A Cripam está situada na rua Rio Grande do Sul, n° 935, bairro Cristo Redentor. O telefone é (67) 3231-1826.


Barco Hotel ÍndiaPorã II

Considerado por muitos pescadores como um dos barcos mais aconchegantes que navegam no Pantanal, o ÍndiaPorã II é um show de classe e estilo.

Ligue agora (67)-3231-8522
Apartamento em Bombinhas-SC

Se você deseja passar momentos agradáveis na praia, então que seja com muito conforto e elegância. Conheça o novo produto com a qualidade RaquelTur.